Como funciona carta de crédito: Confira nosso guia completo!

Veja o que é a carta de crédito e como é seu funcionamento na prática.

Por Igor em 08/01/2024

Seja para realizar o sonho da casa própria, adquirir um veículo novo ou investir em um projeto empresarial, a carta de crédito tem se destacado como uma opção financeira versátil e acessível.

A partir dela, é possível adquirir o bem que você deseja e usar o valor da carta como forma de pagamento.

Mas você sabe exatamente o que é uma carta de crédito e como que ela funciona? Nesta matéria, vamos tirar todas as dúvidas sobre o assunto, de forma que você entenda melhor a carta de crédito e como ela deve ser usada.

Acompanhe a leitura para saber mais sobre a carta de crédito.

O que é uma carta de crédito?

É comum que você encontre o termo “carta de crédito” quando se trata de consórcios. Pois é neles que ela surge como o objetivo final de quem contrata o serviço financeiro.

Assim, a carta de crédito é um instrumento financeiro concedido a um consorciado quando este é contemplado por meio do sorteio em seu consórcio. Em essência, esse documento possibilita que o consorciado concretize a contratação de serviços ou aquisição de bens que despertaram seu interesse ao ingressar no consórcio.

Ou seja, a obtenção da carta de crédito representa o objetivo final para o consorciado, marcando o êxito dentro do consórcio em que participa. É o documento que concede ao consorciado o valor referente ao consórcio que ele está pagando.

Como funciona uma carta de crédito?

O funcionamento da carta de crédito está diretamente ligado ao funcionamento do consórcio. Assim, você recebe a carta de crédito quando é contemplado no consórcio.

Veja com detalhes como funciona todo o processo desde a contratação até a aquisição da carta de crédito:

Solicitação e Adesão ao Consórcio

O processo de uma carta de crédito tem início quando um indivíduo decide participar de um consórcio.

Nesse estágio, o interessado escolhe o valor desejado e adquire uma cota, representando sua participação no grupo.

É importante analisar bem o consórcio antes de fazer a aquisição, de forma que, assim, possa conseguir ter o bem dentro do valor que deseja e que seja bom para sua utilização.

Formação do Grupo e Contribuições Mensais

Com um grupo formado por diversos participantes, cada membro realiza contribuições mensais, formando um fundo comum. Essas contribuições são essenciais para a operação do consórcio.

Em geral, os bancos e financeiras podem criar os grupos de consórcio e você ser inserido em um grupo já existente. Com isso, você passa a fazer parte daquele grupo e faz os pagamentos para que tenha sua carta de crédito ao final.

Sorteios e Lances

Periodicamente, ocorrem sorteios entre os participantes, proporcionando a contemplação de alguns consorciados.

Além disso, há a possibilidade de antecipar a contemplação por meio de lances, onde os membros oferecem valores extras nas assembleias.

Cada vez que um membro é sorteado, ele recebe a carta de crédito. Com os lances, a chance de contemplação aumenta bastante.

Se chegar ao final do pagamento e não for contemplado, você recebe a carta de crédito ao terminar de quitar seu consórcio.

Contemplação e Emissão da Carta de Crédito

Quando um consorciado é sorteado ou vence o lance, ele é contemplado. O mesmo acontece se chegar ao final do pagamento do consórcio.

Nesse momento, a administradora do consórcio emite a carta de crédito, documento que representa o valor disponível para aquisição do bem ou serviço desejado.

Escolha do Bem ou Serviço

Com a carta de crédito em mãos, o contemplado tem a liberdade de escolher o bem ou serviço conforme suas necessidades e interesses.

Essa flexibilidade é uma das vantagens do consórcio. Entretanto, é preciso ter atenção ao consórcio e suas regras para que você possa fazer o uso correto de sua carta de crédito. Em geral, ela é destinada ao bem que você contrata no início, como automóvel ou imóvel.

Aquisição e Utilização da Carta de Crédito

Após a escolha, o consorciado utiliza a carta de crédito para efetivar a compra, seguindo as orientações da administradora.

A transação é concluída de acordo com os termos estabelecidos no contrato do consórcio.

Continuidade das Contribuições

Mesmo após a contemplação, os consorciados continuam contribuindo mensalmente até que todos tenham sido contemplados. Esse processo assegura que o consórcio mantenha a saúde financeira até seu encerramento.

Além disso, existe um valor total do consórcio que você deve pagar ao fazer a contratação. Assim, ainda que já tenha a carta de crédito em mãos, você deve acabar de pagar seu consórcio.

Quais são os tipos de carta de crédito?

Existem diferentes tipos de carta de crédito no âmbito de consórcios, cada um adaptado às necessidades específicas dos participantes. Elas seguem as regras do banco ou financeira e são usadas de acordo com cada tipo de consórcio contratado.

Veja os tipos de carta de crédito existentes e entenda como funciona cada um deles:

Carta de Crédito Contemplada por Sorteio

Nesse tipo, a contemplação ocorre por meio de sorteios regulares entre os consorciados. A aleatoriedade do sorteio proporciona uma chance igual para todos os membros do grupo.

Em geral, os consórcios fazem sorteios uma vez por mês ou uma vez por quinzena, dependendo das regras específicas da empresa.

Carta de Crédito Contemplada por Lance Fixo

Os participantes têm a opção de ofertar lances em valores predeterminados, e a contemplação é concedida ao consorciado que oferecer o lance mais alto.

Esse formato permite que membros mais estratégicos aumentem suas chances de contemplação.

Em geral, as cartas contempladas por lance acontecem no mesmo dia do sorteio, onde a empresa analisa os lances para fazer a contemplação.

Carta de Crédito Contemplada por Lance Livre

Diferente do lance fixo, aqui os consorciados têm liberdade para ofertar qualquer valor como lance. O contemplado será aquele que apresentar a oferta mais vantajosa durante a assembleia.

Esta é uma boa opção para quem tem um dinheiro guardado e quer usar para a contemplação mais rápida.

Carta de Crédito Contemplada por Lance Embutido

Neste tipo, os participantes têm a possibilidade de utilizar parte do próprio crédito como lance.

Isso significa que, ao ofertar um lance embutido, o consorciado pode reduzir o valor da sua carta de crédito para aumentar as chances de contemplação.

Carta de Crédito Não Contemplada

Consorciados que ainda não foram contemplados possuem uma carta de crédito não contemplada. Essa categoria mantém sua flexibilidade, permitindo a participação em lances e sorteios para alcançar a contemplação.

Ou seja, ao contratar um consórcio, basicamente você contrata uma carta de crédito não contemplada e o seu objetivo é justamente a contemplação.

Carta de Crédito para Serviços

Alguns consórcios oferecem cartas de crédito específicas para a contratação de serviços, como reformas, viagens, educação, entre outros. Isso amplia a versatilidade do consorciado na utilização de seu crédito.

E válido lembrar que este tipo de carta de crédito serve para que você tenha a contratação destes tipos de serviço e deve ser usada para tal finalidade na hora de fazer a contratação.

Carta de Crédito para Veículos

Direcionada à aquisição de veículos, essa categoria de carta de crédito atende a consorciados com o objetivo específico de adquirir automóveis, seja novos ou usados.

Na hora de fazer a contratação, é preciso que você veja as regras para saber quais os tipos de veículos podem ser comprados com a carta de crédito para que, ao final, você tenha as suas necessidades atendidas.

Carta de Crédito para Imóveis

Destinada à compra de imóveis, essa modalidade de carta de crédito é ideal para consorciados que buscam realizar o sonho da casa própria ou investir em propriedades.

Em geral, são consórcios com valores mais altos e com um prazo de contemplação maior. Assim, é necessário organização financeira para que se possa pagar o consórcio e ter sua carta de crédito.

Como usar a carta de crédito? Quais as regras?

Para usar a carta de crédito, o consorciado deve seguir as seguintes regras:

  • Estar com as parcelas em dia: O consorciado deve estar com todas as parcelas do consórcio em dia para poder ser contemplado.
  • Ser contemplado: O consorciado pode ser contemplado por sorteio ou por lance.
  • Cumprir os requisitos do contrato: O consorciado deve cumprir todos os requisitos estabelecidos no contrato do consórcio para poder usar a carta de crédito.

Após ser contemplado, o consorciado deve seguir os seguintes passos para usar a carta de crédito:

  • Confirmar a contemplação: O consorciado deve confirmar a contemplação com a administradora do consórcio.
  • Apresentar documentos: O consorciado deve apresentar os documentos necessários à administradora do consórcio, como RG, CPF, comprovante de residência e comprovante de renda.
  • Então, o consorciado deve escolher o bem que deseja adquirir com a carta de crédito.
  • O consorciado deve negociar o preço do bem com o vendedor.
  • O consorciado deve passar as informações sobre o bem à administradora do consórcio, como o valor do bem, o nome do vendedor e o endereço do bem.
  • Se o valor do bem for superior ao valor da carta de crédito, o consorciado deverá complementar o valor.

A carta de crédito pode ser usada para a compra de bens móveis ou imóveis. No caso de bens móveis, o consorciado pode usar a carta de crédito para comprar carros, motos, eletrodomésticos, móveis etc. No caso de bens imóveis, o consorciado pode usar a carta de crédito para comprar apartamentos, casas, terrenos etc.

Após o uso da carta de crédito, o consorciado deve continuar pagando as parcelas do consórcio até o final do contrato.

É importante lembrar que as regras para o uso da carta de crédito podem variar de acordo com a administradora do consórcio. Por isso, é importante consultar o contrato do consórcio antes de usar a carta de crédito.

O que é o reajuste da carta de crédito? Como funciona?

O reajuste da carta de crédito é a correção do valor da carta de crédito ao longo do tempo, para que o consorciado não perca o poder de compra em relação ao bem que deseja adquirir. O reajuste é feito com base em um indicador econômico, como o IPCA (Índice de Preços ao Consumidor Amplo) ou o INCC (Índice Nacional de Custo da Construção).

O reajuste da carta de crédito ocorre de forma periódica, geralmente mensal ou anual, e é definido no contrato do consórcio. A administradora do consórcio é responsável por realizar o reajuste e informar aos consorciados o novo valor da carta de crédito.

O reajuste da carta de crédito é importante para que o consorciado não seja prejudicado pela inflação. Se o valor da carta de crédito não fosse reajustado, o consorciado perderia poder de compra e, ao ser contemplado, não seria capaz de adquirir o bem desejado com o valor da carta de crédito.

Ao ser contemplado, o consorciado terá o valor reajustado da carta de crédito para adquirir o seu bem. É importante lembrar que o reajuste da carta de crédito não é um rendimento. O reajuste visa apenas manter o poder de compra do consorciado, não gerar lucro.

Depois de contemplada, quanto tempo dura a carta de crédito?

O prazo de validade da carta de crédito contemplada varia de acordo com a administradora do consórcio. Geralmente, o prazo é de 90 a 190 dias, contados a partir da data da contemplação.

O prazo de validade da carta de crédito é importante para proteger a administradora do consórcio e os demais consorciados. Se a carta de crédito não tivesse validade, o consorciado contemplado poderia ficar com o valor da carta de crédito sem utilizar, o que prejudicaria a administradora e os demais consorciados, que ainda teriam que pagar as parcelas do consórcio.

Após o prazo de validade, a carta de crédito expira e o consorciado perde o direito de utilizá-la. Nesse caso, o consorciado pode solicitar a extensão do prazo de validade, mas a administradora pode não conceder a extensão.

Se o consorciado não utilizar a carta de crédito dentro do prazo de validade, ele também pode solicitar o reembolso do valor da carta de crédito. No entanto, o reembolso é feito com base no valor da carta de crédito na data da contemplação, sem os reajustes que ocorreram após a contemplação.

Além disso, a contemplação com a carta de crédito pode ser ainda mais tranquila quando se tem um fundo de reserva bem estruturado, capaz de garantir a saúde financeira do grupo mesmo em situações adversas.

Posso usar 2 cartas de crédito para comprar um veículo?

Sim, é possível usar 2 cartas de crédito para comprar um veículo. Essa modalidade é conhecida como junção de cotas.

Para juntar 2 cartas de crédito, o consorciado deve seguir as seguintes regras:

  • As cotas devem ser da mesma administradora.
  • As cotas devem estar em dia com as parcelas.
  • As cotas devem ser contempladas.
  • O consorciado deve cumprir os requisitos estabelecidos no contrato do consórcio.

Após cumprir essas regras, o consorciado deve solicitar a junção das cotas à administradora do consórcio. A administradora irá analisar o pedido e, se for aprovado, irá gerar uma nova carta de crédito com o valor total das duas cotas.

A junção de cotas pode ser uma boa opção para os consorciados que desejam adquirir um veículo de valor superior ao valor de uma carta de crédito. Também pode ser uma opção para os consorciados que desejam adquirir um veículo mais rapidamente, pois a junção de cotas pode reduzir o prazo de contemplação.

No entanto, é importante lembrar que a junção de cotas também pode ter algumas desvantagens. Uma desvantagem é que o consorciado terá que pagar parcelas maiores, pois o valor da carta de crédito será maior. Outra desvantagem é que o consorciado terá que cumprir o contrato de ambas as cotas, o que significa que terá que pagar as parcelas de ambas as cotas até o final do contrato.

Dá para vender uma carta de crédito contemplada?

Sim, é possível vender uma carta de crédito contemplada. A venda de uma carta de crédito contemplada é uma negociação particular entre o consorciado que deseja vender a carta e o interessado em comprar a carta. No entanto, a concretização da transferência de titularidade está sujeita a análise, aprovação e anuência da administradora de consórcio.

Para vender uma carta de crédito contemplada, o consorciado deve seguir os seguintes passos:

  • Definir o valor da venda: O consorciado deve definir o valor que deseja receber pela venda da carta de crédito. O valor da venda geralmente é superior ao valor da carta de crédito, pois o comprador está pagando pelo direito de ser contemplado imediatamente.
  • Encontrar um comprador: O consorciado pode encontrar um comprador por meio de anúncios online, agências especializadas em compra e venda de cartas de crédito ou por indicação de amigos ou familiares.
  • Concordar com o comprador: O consorciado e o comprador devem concordar com as condições da venda, como o valor da venda, a forma de pagamento e a data da transferência da titularidade.
  • Solicitar a transferência da titularidade: O consorciado deve solicitar a transferência da titularidade à administradora do consórcio. A administradora irá analisar o pedido e, se for aprovado, irá transferir a titularidade da carta de crédito para o comprador.

Após a transferência da titularidade, o comprador passa a ter todos os direitos e obrigações relacionados à carta de crédito, inclusive o pagamento das parcelas do consórcio.

E comprar? É possível? É seguro?

Sim, a aquisição de uma carta de crédito contemplada é uma alternativa viável. O processo de compra envolve uma negociação direta entre o interessado em adquirir a carta e o consorciado disposto a vendê-la.

Entretanto, é crucial destacar que a efetivação da transferência de titularidade está condicionada à análise, aprovação e concordância por parte da administradora de consórcio. Com isso, o processo fica mais seguro e você, ao comprar, sabe que receberá o produto corretamente.

Aqueles que desejam adquirir uma carta de crédito contemplada devem encontrar uma carta de crédito disponível para venda. Essa busca pode ser realizada por meio de anúncios online, em agências especializadas na comercialização de cartas de crédito ou por meio de recomendações de conhecidos.

Depois, é necessário chegar a um acordo com o vendedor. O comprador e o vendedor devem concordar sobre as condições da transação, incluindo o montante da compra, as modalidades de pagamento e a data estipulada para a transferência de titularidade.

Por fim, é preciso solicitar a transferência de titularidade à administradora do consórcio. O comprador deverá submeter o pedido de transferência à administradora responsável. A instituição realizará uma análise minuciosa e, caso aprovado, procederá com a transferência da titularidade da carta de crédito para o comprador.

Posso usar carta de crédito como lance em outro consórcio?

Sim, é possível usar uma carta de crédito como lance em outro consórcio. Essa modalidade é conhecida como “lance de carta de crédito”.

Para usar uma carta de crédito como lance em outro consórcio, é necessário atender aos seguintes requisitos:

  • A carta de crédito deve estar contemplada.
  • A carta de crédito deve ser da mesma administradora do consórcio onde o lance será oferecido.
  • O consorciado que oferece o lance deve cumprir os requisitos estabelecidos no contrato do consórcio onde o lance será oferecido.

Ao oferecer uma carta de crédito como lance, o consorciado deve informar à administradora do consórcio onde o lance será oferecido o valor do lance e a carta de crédito que será utilizada. A administradora do consórcio irá analisar o pedido e, se for aprovado, irá gerar um boleto para pagamento do lance.

Quais são os juros de uma carta de crédito?

Os juros de uma carta de crédito são zero, ou seja, não há incidência de juros compostos. O consórcio é uma modalidade de crédito que não possui juros, pois o valor das parcelas é calculado com base no valor total do bem ou serviço dividido pelo número de parcelas.

No entanto, a carta de crédito é corrigida periodicamente, geralmente mensalmente, com base em um indicador econômico, como o IPCA (Índice de Preços ao Consumidor Amplo) ou o INCC (Índice Nacional de Custo da Construção).

Essa correção é necessária para que o consorciado não perca o poder de compra em relação ao bem ou serviço que deseja adquirir.

Se eu não usar o valor total da carta de crédito, o que acontece?

Se você não usar o valor total da carta de crédito, você tem algumas opções que pode usar:

  • Você poderá utilizar o saldo restante da carta de crédito para despesas relacionadas à aquisição do bem ou serviço, como transferência de propriedade, ITBI, seguro etc.
  • Vender o saldo da carta de crédito para outra pessoa.
  • Receber o saldo da carta de crédito em dinheiro. Nesse caso, você deverá esperar o prazo de validade da carta de crédito, que geralmente é de 90 a 180 dias.

É importante consultar o contrato do consórcio para saber mais sobre as regras para o uso da carta de crédito.

Dá para usar uma carta de crédito e financiar o restante?

Sim, é possível fazer o uso da carta de crédito ao recorrer à modalidade conhecida como “carta de crédito + financiamento”. Assim, o consorciado tem a oportunidade de complementar o valor da carta de crédito com um financiamento, permitindo a aquisição de bens ou serviços de valor superior ao montante disponibilizado pela carta.

Para efetivar essa estratégia, é essencial que o consorciado atenda a alguns requisitos específicos, como a carta de crédito deve estar contemplada, representando a aprovação do consorciado para utilizar o crédito acumulado no grupo.

Além disso, o consorciado necessita ser aprovado pelo banco ou instituição financeira responsável pelo financiamento. Essa aprovação está sujeita a análise de crédito e demais critérios estabelecidos pela instituição.

Quando o consorciado opta pela modalidade de carta de crédito + financiamento, ele recebe o valor correspondente à carta para concretizar a compra do bem ou serviço desejado. A parcela remanescente, que não é coberta pela carta de crédito, é então financiada pelo banco ou instituição financeira parceira.

Essa estratégia amplia a capacidade de aquisição do consorciado, possibilitando a obtenção de bens ou serviços mais substanciais do que aqueles inicialmente contemplados pela carta de crédito.

Com isso, a carta de crédito se torna um instrumento financeiro fundamental para quem quer ter a contemplação no consórcio.

Gostou das dicas? Veja mais em nosso blog!

Você também vai gostar