O que é marcação a mercado? Entenda como funciona nos investimentos!

Veja o que é a marcação a mercado e como isso atinge suas finanças.

Por Igor em 18/12/2023

Se você é investido, sabe que o mercado financeiro está em constante evolução, buscando incessantemente aprimorar a eficiência e confiabilidade oferecidas aos investidores.

Dentro desse contexto, a marcação a mercado destaca-se como um dos instrumentos fundamentais para assegurar que as finanças estejam sempre em pleno funcionamento.

Através desse mecanismo, os valores dos investimentos são atualizados diariamente, proporcionando uma visão precisa e em tempo real do desempenho da carteira.

Consequentemente, essa prática pode exercer impactos significativos nos resultados financeiros, demandando uma atenção especial no momento de conceber a estratégia de alocação de recursos.

Por isso, nesse artigo, vamos mostrar o que representa e como opera a marcação a mercado. Acompanhe a leitura para explorar mais sobre esse importante aspecto do universo financeiro.

O que é marcação a mercado?

A marcação a mercado é um processo utilizado no mercado financeiro para avaliar e ajustar o valor de ativos e instrumentos financeiros com base nos preços de mercado correntes. Em vez de depender de valores contábeis históricos, a marcação a mercado reflete os preços de mercado em tempo real ou períodos recentes.

Essa prática é especialmente relevante em investimentos, como ações, títulos e fundos, cujos valores podem flutuar diariamente devido às condições do mercado.

A ideia por trás da marcação a mercado é proporcionar uma avaliação mais precisa e transparente do valor dos ativos, permitindo que os investidores tenham uma visão atualizada do desempenho de suas carteiras.

No contexto da marcação a mercado, os ativos são avaliados com base nos preços de mercado prevalecentes, o que pode resultar em variações no valor contábil dos investimentos.

Essa abordagem é fundamental para fornecer informações em tempo real sobre o valor dos ativos, auxiliando os investidores na tomada de decisões informadas sobre alocação de recursos e gerenciamento de recursos.

Qual é o conceito da marcação a mercado?

O conceito da marcação a mercado está fundamentado na avaliação e ajuste contínuo do valor de ativos e instrumentos financeiros com base nos preços de mercado atualizados. Em vez de depender de valores contábeis históricos, a marcação a mercado reflete os preços correntes do mercado.

A essência desse conceito reside na busca por uma representação mais precisa e em tempo real do valor dos ativos em uma carteira de investimentos.

Ao adotar a marcação a mercado, os investidores conseguem acompanhar as flutuações de preços dos ativos e, consequentemente, obter uma visão mais transparente e dinâmica do desempenho de seus investimentos.

A prática da marcação a mercado é especialmente crucial em mercados financeiros onde os preços de ativos são suscetíveis a mudanças frequentes.

Essa abordagem permite que investidores, gestores de fundos e outras partes interessadas tomem decisões mais informadas, ajustando suas estratégias de alocação de recursos com base nas condições de mercado em constante evolução.

Marcação a mercado na prática: como funciona?

A marcação a mercado na prática envolve a avaliação contínua e ajuste dos valores dos ativos com base nos preços de mercado atuais. O processo pode variar ligeiramente dependendo do tipo de ativo ou instrumento financeiro, mas, em geral, segue os seguintes passos:

  • Obtenção de Preços de Mercado: Os preços de mercado são coletados para cada ativo na carteira. Isso pode envolver a utilização de fontes externas, como bolsas de valores, sistemas de negociação eletrônica ou outras referências de preço confiáveis.
  • Avaliação dos Ativos: Com os preços de mercado em mãos, os ativos na carteira são avaliados com base nesses valores. Esse processo é aplicado a cada ativo individualmente.
  • Cálculo do Valor da Carteira: Somando os valores individuais dos ativos após a avaliação, é possível calcular o valor total da carteira com base nos preços de mercado atuais.
  • Comparação com Valores Anteriores: Os resultados são comparados com os valores anteriores, que podem ter sido calculados com base em preços históricos. Isso destaca as mudanças no valor dos ativos ao longo do tempo.
  • Atualização de Registros Contábeis: Se houver diferenças significativas entre os valores marcados a mercado e os valores anteriores, os registros contábeis são ajustados para refletir essas mudanças. Isso pode impactar o valor contábil dos ativos na demonstração financeira.
  • Informação para Tomada de Decisões: A marcação a mercado fornece informações atualizadas aos investidores, gestores de fundos e outras partes interessadas. Isso ajuda na tomada de decisões informadas sobre a gestão da carteira, alocação de recursos e estratégias futuras.

É importante notar que a marcação a mercado é particularmente relevante em ativos sujeitos a flutuações frequentes de preço, como ações, títulos e instrumentos derivativos.

Essa prática contribui para uma avaliação mais transparente e dinâmica do valor real dos ativos em uma carteira de investimentos.

A marcação a mercado afeta quais tipos de investimento?

A marcação a mercado pode afetar diferentes tipos de investimentos, sendo especialmente relevante em instrumentos financeiros sujeitos a variações frequentes de preço. Assim, são vários os investimentos em que você vai ter influência:

  • Marcação a Mercado na Renda Fixa: títulos de renda fixa.
  • Marcação a Mercado na Renda Variável: ações e fundos imobiliários.
  • Marcação a Mercado em Fundos de Investimentos: fundos de ações e fundos de renda fixa.

Marcação a mercado na renda fixa

A marcação a mercado na renda fixa funciona como um mecanismo para avaliar o valor atualizado dos ativos dessa categoria, levando em consideração as condições de mercado.

Ela é particularmente relevante para títulos de renda fixa, como debêntures, títulos públicos e privados, que geralmente têm seus preços influenciados por mudanças nas taxas de juros.

A forma como a marcação a mercado opera na renda fixa é a seguinte:

  • As taxas de juros de mercado desempenham um papel crucial na avaliação de títulos de renda fixa. Elas são obtidas a partir de fontes confiáveis, como o mercado interbancário.
  • Utilizando as taxas de juros de mercado, calcula-se o valor presente dos fluxos de caixa futuros associados ao título. Esse cálculo reflete o valor atualizado do título com base nas taxas de mercado.
  • O valor contábil do título é ajustado para refletir o novo valor calculado a partir da marcação a mercado. Se o valor presente dos fluxos de caixa for maior que o valor contábil anterior, o título é marcado para cima; se for menor, é marcado para baixo.
  • O ajuste na marcação a mercado tem um impacto direto no valor dos ativos na carteira do investidor. Isso pode influenciar o resultado do investidor, seja por meio de ganhos ou perdas não realizadas.
  • A marcação a mercado oferece aos investidores uma visão mais transparente e atualizada do valor real de seus investimentos em renda fixa. Isso é essencial para a tomada de decisões informadas em um ambiente de mercado em constante mudança.

Vale ressaltar que a marcação a mercado na renda fixa pode ser mais significativa em títulos com prazos mais longos, pois as variações nas taxas de juros têm um impacto mais pronunciado no valor presente dos fluxos de caixa futuros.

Essa prática visa refletir com maior precisão o valor dos ativos em um mercado dinâmico e proporcionar aos investidores informações mais relevantes sobre o desempenho de suas carteiras.

E na renda variável?

A marcação a mercado na renda variável funciona de maneira a refletir, em tempo real, as variações nos preços de ativos sujeitos ao mercado de ações.

Diferentemente da renda fixa, onde os fluxos de caixa são mais previsíveis, na renda variável, como em ações, os preços são determinados pela oferta e demanda do mercado, o que pode resultar em oscilações frequentes.

A marcação a mercado opera na renda variável da seguinte forma:

  • Os preços das ações e outros instrumentos de renda variável são cotados em tempo real nos mercados financeiros. Essas cotações refletem a última transação realizada no mercado e representam o preço atual de compra e venda.
  • Os valores dos ativos na carteira são atualizados continuamente com base nas cotações em tempo real. Isso implica que o valor contábil dos ativos pode mudar a cada transação no mercado.
  • A marcação a mercado tem um impacto direto no valor total da carteira do investidor. Se os preços das ações aumentam, o valor da carteira é marcado para cima; se os preços diminuem, o valor é marcado para baixo.
  • Os ajustes contábeis são realizados para refletir os novos valores dos ativos na carteira. Isso pode influenciar os resultados do investidor, refletindo ganhos ou perdas não realizadas.
  • A marcação a mercado fornece informações em tempo real sobre o valor real dos ativos na carteira. Isso é crucial para os investidores acompanharem o desempenho de seus investimentos e tomarem decisões informadas.
  • A marcação a mercado é especialmente relevante em ativos de renda variável devido à sua natureza mais líquida e volátil. Os preços podem variar significativamente ao longo do tempo, e a marcação a mercado reflete essas variações.

Ou seja, na renda variável, a marcação a mercado permite que os investidores acompanhem de perto as mudanças nos valores de suas ações, fundos de investimento e outros instrumentos sujeitos às flutuações do mercado de capitais.

Essa prática contribui para uma avaliação mais transparente e dinâmica do desempenho dos investimentos em renda variável.

Fundo de investimentos

A marcação a mercado em fundos de investimentos é um processo crucial para refletir o valor real dos ativos que compõem a carteira do fundo.

Essa prática é aplicada em diferentes tipos de fundos, sejam eles de renda fixa, renda variável, multimercado ou outros.

A marcação a mercado opera em fundos de investimentos da seguinte forma:

  • Os gestores de fundos avaliam regularmente o valor dos ativos que compõem a carteira do fundo. Esses ativos podem incluir ações, títulos, cotas de outros fundos, entre outros.
  • Os preços de mercado dos ativos são obtidos a partir de fontes confiáveis, como bolsas de valores, sistemas de negociação eletrônica, ou avaliações independentes.
  • Com base nos preços de mercado dos ativos, é calculado o valor total da carteira do fundo. Esse cálculo reflete a soma dos valores atualizados de todos os ativos.
  • Se houver diferenças significativas entre os valores de mercado e os valores contábeis anteriores, são realizados ajustes contábeis para refletir essas mudanças. Isso pode afetar o valor da cota do fundo.
  • A marcação a mercado proporciona transparência aos investidores, uma vez que reflete o valor real dos ativos na carteira do fundo. Essa informação é geralmente disponibilizada periodicamente, permitindo que os investidores acompanhem o desempenho do fundo.
  • As variações resultantes da marcação a mercado têm impacto direto nos resultados dos investidores. Se os ativos se valorizam, os investidores podem experimentar ganhos não realizados, e o contrário também é verdadeiro.
  • A marcação a mercado deve estar alinhada à política do fundo, que define as regras para avaliação e contabilização dos ativos. Essas políticas são estabelecidas no regulamento do fundo.

A marcação a mercado em fundos de investimentos é uma prática essencial para garantir que os investidores tenham uma visão precisa e atualizada do valor de suas participações no fundo.

A marcação a mercado é afetada pelo quê?

Entender os fatores que interferem na marcação a mercado é crucial para investidores que buscam compreender a dinâmica de precificação de seus ativos.

Com base no princípio fundamental da marcação a mercado, que visa oferecer uma avaliação justa dos investimentos, é essencial explorar os elementos que podem impactar esse processo.

Liquidez

A liquidez, representando a agilidade na negociação e conversão de um investimento em dinheiro, desempenha um papel vital.

Ativos mais líquidos, como títulos públicos, proporcionam negociações rápidas, refletindo dinamismo na venda. Em contraste, ativos menos líquidos, como imóveis, podem ter processos de venda mais demorados.

Na marcação a mercado, a liquidez influencia a utilização de informações para definir o preço de cada investimento, sendo que ativos líquidos frequentemente têm seus preços ajustados diariamente.

Rentabilidade

O modelo de rentabilidade do investimento, especialmente em títulos de renda fixa, desempenha um papel determinante na marcação a mercado.

Títulos pós-fixados acompanham indicadores como Selic e CDI, enquanto títulos prefixados ou híbridos possuem taxas fixas.

Alterações nas expectativas sobre a taxa Selic podem influenciar a marcação a mercado de maneira inversamente proporcional, gerando oscilações nos valores dos ativos.

Oferta e Procura

O comportamento do mercado financeiro, refletido na relação entre oferta e procura, impacta diretamente a marcação a mercado.

Maior demanda resulta em valorização dos ativos, enquanto uma oferta superior à procura tende a causar desvalorização.

O comportamento dos investidores, muitas vezes influenciado por notícias e perspectivas do mercado, também desempenha um papel crucial nesse cenário.

Condições Macroeconômicas

As características da economia, incluindo movimentos na taxa Selic e níveis de inflação, têm efeitos significativos na marcação a mercado.

Um aumento na Selic pode tornar investimentos já emitidos menos atrativos, enquanto a inflação elevada pode levar a ações do Banco Central para controlar os preços, impactando indiretamente a marcação a mercado.

Observar as condições macroeconômicas e as políticas monetárias permite uma compreensão mais profunda dos possíveis efeitos da marcação a mercado, capacitando os investidores a tomar decisões informadas em um ambiente financeiro dinâmico.

Qual a relação entre a marcação a mercado e o Tesouro Direto?

Ao analisar a marcação a mercado, é frequente associá-la à dinâmica dos títulos do Tesouro Direto. Na prática, o funcionamento desse mecanismo é semelhante ao observado em títulos privados de renda fixa, dependendo do tipo de rentabilidade.

No caso do Tesouro Prefixado, a marcação a mercado está diretamente vinculada à taxa Selic. Se a perspectiva indica uma elevação na curva de juros, o título existente se desvaloriza, uma vez que oferecerá um retorno inferior em comparação aos novos títulos emitidos.

Quanto ao Tesouro IPCA, sua marcação a mercado é influenciada tanto pela Selic quanto pelo Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA), medida de inflação. Aumentos na inflação podem resultar em elevações na Selic, depreciando assim os títulos já em circulação.

O Tesouro Selic, sendo um título pós-fixado que rende de acordo com a taxa de juros da economia, também passa por marcação a mercado, mas sua antecipação não acarreta prejuízos substanciais, dado que seu retorno é diário e vinculado ao desempenho da Selic, independentemente.

A relação entre a marcação a mercado e o Tesouro Direto é de relevância especial, considerando a liquidez diária dos títulos públicos. Vale ressaltar que o Tesouro Selic é mais seguro para resgates antes do vencimento, enquanto os demais títulos carregam maior risco de perda em retiradas antecipadas.

Quais as vantagens e desvantagens da marcação a mercado?

A marcação a mercado apresenta vantagens e desvantagens, e sua aplicação pode variar de acordo com o contexto e os objetivos do investidor.

Vantagens

  • Precisão em Tempo Real.
  • Transparência e Informação Atualizada.
  • Gestão de Riscos Eficiente.
  • Adaptação a Flutuações de Mercado.
  • Reflete Dinâmicas de Preço.

Desvantagens

  • Volatilidade nos Resultados
  • Impacto em Investimentos de Longo Prazo.
  • Possível Manipulação.
  • Pressão em Momentos de Crise.
  • Risco de Tomada de Decisões Impulsivas.

Qual a diferença entre marcação a mercado e marcação na curva?

É essencial compreender que os termos “marcação a mercado” e “marcação na curva” não são sinônimos, representando contextos distintos.

Enquanto a marcação a mercado implica na atualização diária dos preços de ativos, títulos e cotas de fundos, a marcação na curva não incorpora esse ajuste. No segundo, o investimento é corrigido unicamente pela taxa previamente acordada, especialmente em títulos de renda fixa.

As implicações da marcação na curva são multifacetadas. Por um lado, essa abordagem evita perdas decorrentes de variações diárias, como antecipações. No entanto, também limita a capacidade de aproveitar possíveis valorizações.

Assim, é importante compreender cada termo para que você controle melhor seu investimento.

Perguntas frequentes

CDB tem marcação a mercado?

Normalmente, os Certificados de Depósito Bancário (CDB) não têm marcação a mercado. Os CDBs são títulos de renda fixa emitidos por instituições financeiras, e sua rentabilidade geralmente é determinada no momento da compra, seguindo as condições acordadas no momento da aplicação.


De quem é a responsabilidade da marcação mercado?

A responsabilidade pela marcação a mercado pode variar dependendo do contexto e do tipo de investimento. Em geral, a marcação a mercado é realizada pelos gestores de investimentos, sejam eles gestores de fundos, gestores de carteiras ou traders individuais, dependendo da estrutura do investimento.


Quando a marcação a mercado é facultativa?

A marcação a mercado é, em muitos casos, uma prática obrigatória e regulamentada, especialmente em ambientes financeiros mais estruturados e transparentes. No entanto, pode haver situações específicas em que a marcação a mercado é facultativa ou menos rigorosa. Aqui estão algumas circunstâncias em que isso pode ocorrer:


- Ativos Menos Líquidos.

- Instrumentos Financeiros Complexos.

- Investimentos de Longo Prazo.

- Investimentos Não Negociados.

- Empresas Privadas.


Você também vai gostar