O que é título de capitalização? Entenda como funciona essa forma de investimento!

Tire suas dúvidas sobre o título de capitalização e seu funcionamento.

Por Igor em 04/01/2024

Os títulos de capitalização têm sido uma alternativa cada vez mais popular no mundo financeiro, oferecendo uma combinação única de investimento e sorteio de prêmios.

A partir dele, é possível, além de resgatar o dinheiro investido com acréscimo de juros, receber diversos benefícios que são oferecidos, como prêmios que a empresa sorteia para seus clientes. Assim, ele tem se tornado cada vez mais popular.

Neste artigo, exploraremos profundamente o que é o título de capitalização, como ele funciona e qual é a dinâmica por trás dos pagamentos associados.

Acompanhe a matéria para saber tudo que você precisa sobre título de capitalização.

O que é o título de capitalização?

O título de capitalização é um produto financeiro oferecido por diversas instituições, como bancos e seguradoras.

Ele funciona como uma espécie de combinação entre investimento e sorteio de prêmios. Ao adquirir um título de capitalização, o indivíduo concorda em fazer depósitos mensais por um período pré-determinado.

Esses depósitos formam um montante total que pode ser resgatado ao final do prazo contratado. Além do aspecto de investimento, o título de capitalização possui um atrativo adicional: a participação em sorteios periódicos.

Os clientes concorrem a prêmios em dinheiro ou bens, e os contemplados são escolhidos de forma aleatória.

A ideia por trás do título de capitalização é proporcionar uma alternativa de poupança que combine elementos de rentabilidade com uma dose de emoção associada aos sorteios. Dessa forma, ele se diferencia de outras opções de investimento mais tradicionais.

Como funciona o título de capitalização?

O título de capitalização funciona como uma modalidade de investimento que combina características de poupança programada e sorteios.

Tudo começa com a Aquisição do Título. O interessado adquire um título de capitalização junto a uma instituição financeira, como um banco ou uma seguradora.

No momento da aquisição, são estabelecidas as condições contratuais, incluindo o valor dos depósitos mensais, o prazo do investimento e as regras dos sorteios.

A partir de então, são realizados depósitos mensais conforme estipulado no contrato. Esses depósitos são acumulados ao longo do período contratado, formando um montante total que será utilizado no cálculo do retorno financeiro.

O dinheiro depositado mensalmente pode render juros ou ser corrigido de acordo com índices previamente determinados.

Paralelamente aos depósitos e rendimentos, o titular participa de sorteios periódicos. Parte do valor acumulado é destinado a esses sorteios, nos quais os contemplados têm a chance de receber prêmios em dinheiro ou bens.

Ao final do período contratado, o titular tem direito a resgatar o montante total investido, que inclui tanto os depósitos mensais quanto os rendimentos obtidos.

Esse resgate geralmente é garantido, proporcionando ao investidor a devolução do capital investido.

Algumas apólices de título de capitalização permitem o resgate antecipado, mas é importante verificar as condições contratuais, pois podem existir penalidades ou perda de parte dos rendimentos.

Vale lembrar que as condições contratuais podem variar entre as instituições financeiras, incluindo taxas, prazos, critérios de sorteio e penalidades.

Como é o pagamento do título de capitalização?

Existem diferentes formas de pagamento do título de capitalização. Você deve ver junto com a empresa que fornece o título para você essas possibilidades.

O pagamento único (PU) ocorre quando o investidor realiza um único depósito, contribuindo com o valor total do título de uma só vez. Essa opção é escolhida por quem prefere efetuar o investimento integral sem desembolsos mensais subsequentes.

Já o pagamento mensal (PM) é a forma mais comum, onde o titular autoriza o desconto mensal do valor do título diretamente de sua conta corrente ou poupança. Essa forma oferece conveniência e disciplina financeira, sendo preferida por investidores que buscam a regularidade dos depósitos ao longo do período contratado.

A opção de pagamento periódico (PP) proporciona flexibilidade ao investidor na escolha da periodicidade dos depósitos. Essa modalidade permite que o titular ajuste os pagamentos de acordo com suas preferências e necessidades, adaptando-se ao seu perfil financeiro.

Independentemente da modalidade escolhida, é importante destacar que o custeio de prêmios, as despesas administrativas e a rentabilidade vinculada à Taxa de Referencial (TR) são elementos presentes em todas as formas de pagamento.

A rentabilidade, aplicada apenas sobre uma parte do montante total investido, confere uma dinâmica específica à valorização do título. Compreender esses aspectos é crucial para que o investidor faça escolhas informadas e alinhadas às suas expectativas financeiras.

Como é a rentabilidade dos títulos de capitalização?

A rentabilidade dos títulos de capitalização costuma ser baixa. Em geral, ela fica entre 3% e 5% ao ano, mas pode ser ainda menor, dependendo do tipo de título e das taxas cobradas.

A rentabilidade dos títulos de capitalização é composta por dois fatores:

  • A taxa de atualização: é a taxa que corrige o valor do título ao longo do tempo. Geralmente, ela é atrelada à Taxa Referencial (TR), mas também pode ser fixa ou atrelada a outro índice.
  • A taxa de juros: é a taxa que remunera o valor depositado. Ela pode ser fixa ou variável, e é definida no contrato do título.

Por exemplo, um título de capitalização com valor nominal de R$ 1.000,00, taxa de atualização de 4% ao ano e taxa de juros de 2% ao ano, renderá R$ 44,00 no primeiro ano. Ao final do segundo ano, o valor do título será de R$ 1.044,00.

É importante ressaltar que, em alguns títulos de capitalização, o valor depositado não é totalmente remunerado. Uma parte do valor é destinada a prêmios, que são sorteados entre os participantes. Nesses casos, a rentabilidade do título pode ser ainda menor.

Portanto, antes de investir em um título de capitalização, é importante comparar as taxas e condições oferecidas por diferentes instituições financeiras.

Como investir em título de capitalização?

Investir em títulos de capitalização envolve uma série de passos que devem ser cuidadosamente considerados para tomar decisões financeiras informadas.

Antes de tudo, é crucial selecionar o tipo de título que melhor se alinha com suas necessidades e metas financeiras. Existem duas categorias principais de títulos de capitalização:

  • Títulos com Sorteio: O valor investido é dividido entre correção pela taxa de atualização e a reserva para prêmios sorteados entre os participantes.
  • Títulos sem Sorteio: Todo o montante investido é corrigido pela taxa de atualização.

Além disso, há subdivisões que consideram aspectos como resgate antecipado, liquidez diária e garantia pelo Fundo Garantidor de Crédito (FGC).

Para a escolha do tipo de título mais adequado, é importante avaliar seu objetivo de investimento, perfil de investidor e prazo desejado.

Antes de concluir a aquisição do título, é essencial comparar as taxas e condições oferecidas por diversas instituições financeiras. Itens como taxa de atualização, taxa de juros, valor do prêmio, prazo de vigência, cota de carregamento e cota de sorteio devem ser cuidadosamente analisados.

Essa comparação pode ser realizada online ou em agências bancárias, permitindo identificar a oferta mais vantajosa para suas necessidades.

Finalmente, o passo de contratação pode ser realizado presencialmente em uma agência bancária ou de forma online. Documentos de identificação e comprovante de residência geralmente são necessários para a contratação presencial, enquanto um formulário online deve ser preenchido para a contratação virtual.

Ao finalizar a contratação, um contrato será fornecido. É de extrema importância ler minuciosamente todas as condições antes de assinar, evitando surpresas futuras.

Quais os riscos de se investir em título de capitalização?

Os melhores títulos de capitalização são aqueles que oferecem a melhor combinação de rentabilidade, liquidez, segurança e custo.

  • Rentabilidade: a rentabilidade dos títulos de capitalização é geralmente baixa, mas pode variar de acordo com o tipo de título e as taxas cobradas.
  • Liquidez: os títulos de capitalização geralmente têm um prazo de resgate, que pode ser de alguns meses ou anos. Se você precisar resgatar o seu título antes do prazo, você pode ter que pagar uma multa.
  • Segurança: os títulos de capitalização não são garantidos pelo Fundo Garantidor de Crédito (FGC). Isso significa que, se a instituição financeira quebrar, você pode perder todo o dinheiro investido.
  • Custo: os títulos de capitalização geralmente cobram taxas, como a taxa de carregamento e a taxa de sorteio. Essas taxas podem reduzir a rentabilidade do título.

Veja uma lista de títulos de capitalização que vale a pena você investir:

Título de capitalização Ourocap

O Ourocap é um produto oferecido pelo Banco do Brasil. Ele proporciona aos interessados duas modalidades de aquisição: através de pagamento único ou parcelas mensais.

Na opção de capitalização única, o comprador realiza um único pagamento de R$ 1 mil ou R$ 2 mil e concorre a prêmios que podem atingir até R$ 2 milhões.

Para aqueles que preferirem optar pelo título de capitalização com pagamentos mensais, existem planos a partir de R$ 50,00, com a possibilidade de quitação em até 60 meses. Os prêmios variam de R$ 900,00 a expressivos R$ 10 milhões, sendo distribuídos por meio de sorteios mensais.

Ao término do período de vigência do plano, o comprador recebe o valor investido, devidamente atualizado pela Taxa de Referência (TR).

Título de capitalização Pic Itaú

Promovido pelo Banco Itaú, o Pic Itaú promove sorteios quinzenais, mensais e anuais especiais, proporcionando aos participantes de seu título de capitalização a chance de concorrer a prêmios que podem atingir até R$ 3,6 milhões.

Os titulares precisam realizar pagamentos mensais e podem adquirir o título com valores variando entre R$ 30,00 e R$ 90,00.

Ao completar os 48 meses de vigência do plano, têm a possibilidade de resgatar o valor integral investido.

Título de capitalização SuperXCap

A Caixa Federal também traz para o mercado os seus títulos de capitalização, como o SuperXCap.

Com parcelas a partir de R$ 30,00 e sorteios semanais em planos de 60 meses, esse título proporciona uma experiência envolvente aos participantes.

Além dos prêmios sorteados, os participantes têm acesso à “Raspadinha com Prêmios Instantâneos”, que concede valores que variam de R$ 60,00 a R$ 1.200,00.

O SuperXCap está disponível para aquisição em casas lotéricas em todo o país, proporcionando comodidade aos interessados. Vale ressaltar que ao final do período de 60 meses, é possível realizar o resgate de 100% do valor investido, devidamente atualizado pela Taxa de Referência (TR).

Quais são os melhores títulos de capitalização?

Os melhores títulos de capitalização são aqueles que oferecem a melhor combinação de rentabilidade, liquidez, segurança e custo.

  • Rentabilidade: a rentabilidade dos títulos de capitalização é geralmente baixa, mas pode variar de acordo com o tipo de título e as taxas cobradas.
  • Liquidez: os títulos de capitalização geralmente têm um prazo de resgate, que pode ser de alguns meses ou anos. Se você precisar resgatar o seu título antes do prazo, você pode ter que pagar uma multa.
  • Segurança: os títulos de capitalização não são garantidos pelo Fundo Garantidor de Crédito (FGC). Isso significa que, se a instituição financeira quebrar, você pode perder todo o dinheiro investido.
  • Custo: os títulos de capitalização geralmente cobram taxas, como a taxa de carregamento e a taxa de sorteio. Essas taxas podem reduzir a rentabilidade do título.

Vale a pena investir em título de capitalização?

A resposta a essa pergunta depende de seus objetivos e necessidades como investidor.

Se você busca a rentabilidade, os títulos de capitalização não são a melhor opção. A rentabilidade dos títulos de capitalização é geralmente baixa, e pode ser ainda menor, dependendo do tipo de título e das taxas cobradas. Além disso, em alguns títulos de capitalização, o valor depositado não é totalmente remunerado. Uma parte do valor é destinada a prêmios, que são sorteados entre os participantes. Nesses casos, a rentabilidade do título pode ser ainda menor.

Por outro lado, os títulos de capitalização podem ser uma boa opção para quem deseja concorrer a prêmios, ter um incentivo ****no hábito de poupar e ter uma reserva de emergência.

Se você está pensando em investir em título de capitalização, é importante avaliar os riscos envolvidos e tomar uma decisão consciente.

Perguntas frequentes

Confira algumas perguntas muito comuns sobre títulos de capitalização!

Dá para resgatar o título de capitalização a qualquer momento?

Depende do tipo de título de capitalização.

Os títulos de capitalização com resgate antecipado permitem o resgate a qualquer momento, sem penalidades. Nesses casos, o investidor recebe o valor depositado, corrigido pela taxa de atualização, acrescido da taxa de juros, se houver.

Os títulos de capitalização sem resgate antecipado possuem um prazo de resgate, que pode ser de alguns meses ou anos. Se o investidor resgatar o título antes do prazo, ele pode ter que pagar uma multa. O valor da multa é definido no contrato do título.

Título de capitalização rende mais que a poupança?

A rentabilidade dos títulos de capitalização é geralmente baixa, e pode ser ainda menor, dependendo do tipo de título e das taxas cobradas. A rentabilidade da poupança, por outro lado, é definida pelo governo e pode variar de acordo com a taxa Selic.

Em geral, a rentabilidade dos títulos de capitalização é menor do que a rentabilidade da poupança. Isso ocorre porque os títulos de capitalização cobram taxas, como a taxa de carregamento e a taxa de sorteio. Essas taxas podem reduzir a rentabilidade do título.

Título de capitalização precisa ser declarado?

Sim, título de capitalização precisa ser declarado no Imposto de Renda. A declaração é obrigatória para todos os títulos de capitalização que tenham valor de resgate superior à faixa de isenção do Imposto de Renda.

 

Você também vai gostar