Conta Conjunta: Como funciona? Vale a pena?

Descubra tudo que você precisa saber sobre a conta conjunta.

Por Igor em 24/03/2023

A conta bancária é algo muito sério, principalmente por se tratar de dinheiro. Por isso, muitos se perguntam se ter uma conta conjunta é algo que vale a pena realmente e se esta é a melhor solução.

Para que você possa ter uma luz sobre o assunto, trouxemos as principais informações, incluindo vantagens e desvantagens de se ter uma conta conjunta.

Acompanhe nossa matéria e tenha todas as informações sobre este tipo de conta bancária!

O que é uma conta conjunta?

Conta conjunta é uma conta bancária, que pode ser poupança ou conta corrente, e que existe mais de um titular, ou seja, são cadastrados dois ou mais CPFs como titulares da conta em questão.

As transações podem ser realizadas por qualquer um dos titulares da conta, mas essa liberdade vai depender da instituição financeira e do tipo de conta.

Como funciona uma conta conjunta?

Esse tipo de conta funciona de maneira bem simples. Ela é uma conta igual às outras que o banco oferece aos seus clientes. Pode ser aberta tanto como conta poupança quanto como uma conta corrente.

Você pode realizar todas as movimentações normais de uma conta, como pagamento, depósito, transferência, PIX etc. A diferença está no fato de que ela tem mais de um titular.

Assim, na hora de fazer a movimentação, é possível que ela aconteça por qualquer um dos titulares, que, em geral, possuem seus próprios cartões e que usam para acessar as contas como quiserem.

Quais são os tipos de conta conjunta?

Você sabia que existem dois tipos de contas conjuntas? Veja quais são e como funcionam:

Conta conjunta Solidária

A conta conjunta solidária é aquela em que cada titular tem seu cartão e, assim, pode fazer a movimentação da conta de maneira independente, ou seja, não precisa de aprovação da outra pessoa para que isso aconteça.

Esse tipo de conta é recomendada para casais e familiares que querem ter uma reserva de dinheiro juntos e que querem ter a segurança de movimentação por parte da outra pessoa.

Conta conjunta não solidária

Diferente da conta solidária, a conta conjunta não solidária só aceita movimentação em caso de aprovação por todos os titulares, que pode ser por meio de assinatura física ou digital. Assim, nenhuma operação acontece sem que todos aprovem.

Este tipo de conta conjunta é muito utilizada por sócios de empresas, que querem que o dinheiro esteja seguro e que só com autorização de todos seja movimentado, evitando problemas.

Para que abrir uma conta conjunta?

Veja agora as vantagens e desvantagens de se abrir uma conta conjunta:

Vantagens

  • Possibilidade de organizar melhor as contas fixas do lar.
  • Mais facilidade em juntar dinheiro, já que ambos podem contribuir mensalmente com a conta.
  • Transparência no controle de gastos para pessoas que moram juntas.

Desvantagens

  • Menos independência na gestão do dinheiro.
  • Toda transação usa o dinheiro total que está na conta, não apenas a parte de um titular.
  • Falta de privacidade em relação a ganhos, principalmente se o salário for concentrado na conta conjunta.

Quem pode abrir uma conta conjunta? Quais são os requisitos?

Para abrir uma, basta se ter mais de 18 anos, independente do estado civil ou se há ou não parentesco com os outros titulares.

Assim, em geral, são abertas contas conjuntas entre:

  • Cônjuges;
  • Pais e filhos;
  • Familiares;
  • Pessoas que dividam um imóvel;
  • Sócios de empresas;
  • Pessoas em união estável;
  • Namorados;
  • Etc.

Uma vantagem interessante é que você não precisa criar uma nova conta para ser conjunta. Alguns bancos oferecem a opção de transformar uma conta comum em conjunta.

Quais bancos têm conta conjunta?

Os bancos tradicionais, em geral, possuem a opção de conta conjunta para seus clientes. Já os bancos digitais, somente a conta Digi+ oferece a opção de conta conjunta.

Veja alguns dos principais bancos que têm este tipo de serviço para o cliente:

  • Itaú;
  • Caixa Econômica Federal;
  • Bradesco;
  • Banco do Brasil;
  • Santander;
  • Sicoob;
  • Digi+.

Em geral, essa lista engloba os principais bancos do Brasil e os mais recomendados para se ter uma conta em conjunto com outra pessoa.

Como abrir uma conta conjunta?

Para abrir uma conta conjunta em um banco, o processo é o mesmo de abertura de uma conta comum. A diferença é que você vai ter que levar a documentação de todas as pessoas que estarão como titulares para o banco

Em geral, você vai precisar de:

  • RG;
  • CPF;
  • comprovante de residência;
  • comprovante de renda;
  • formulário preenchido e assinado pelos titulares.

E a conta conjunta digital? Qual a diferença?

De maneira geral, as contas digitais funcionam da mesma forma que as contas em agências físicas. Alguns bancos tradicionais já oferecem a opção de acesso à conta conjunta digital, entre eles:

  • Banco do Brasil: conta conjunta digital gratuita com até 4 titulares. Precisa ser aberta na agência e pode ser solidária ou não solidária, além da opção de corrente ou poupança.
  • Bradesco: você abre a conta na agência e controla de forma digital. Não tem limites de pessoas e pode ser solidária ou não solidária.
  • Caixa: oferece conta solidária para duas pessoas e não solidária para até nove, sendo necessária a abertura na agência.

Assim, para esses bancos, você deve abrir a conta conjunta e controlar de forma digital, como sua conta.

Dos bancos digitais, até o fechamento desta matéria, apenas do Digio+ oferece conta conjunta digital para seus clientes.

É possível ter uma conta digital conjunta gratuita para pessoas físicas, com até dois titulares, solidária. Para isso, é necessário:

  • O primeiro titular baixar o app e abrir a conta, informando os dados e apresentando toda a documentação (CPF, comprovante de renda, comprovante de residência).
  • Então, com a conta aberta, envia o convite para o segundo titular que deve apresentar os mesmos documentos.

Vale lembrar que neste caso a conta é solidária, cada titular tem seu cartão e que há uma avaliação do banco para aprovação ou não da conta.

Quais os riscos de fazer uma conta conjunta? (E que cuidados devo ter?)

Como toda operação bancária, é preciso ter cuidado com a conta conjunta. Por isso, é fundamental que ela aconteça com pessoas que você tenha uma boa relação.

  • Toda operação na conta conjunta é relativa aos titulares, assim, caso haja algum problema, o nome de todos será envolvido.
  • É necessário ter plena confiança na pessoa, já que estamos falando de operações que envolvem dinheiro.
  • Para casais, é necessário pensar, inclusive, o que fazer em caso de separação, já que, segundo recomendações, é preciso cancelar a conta e dividir dinheiro e despesas.
  • É preciso ter muita transparência no que se refere à conta conjunta, já que ambos terão acesso aos gastos e o que se faz do dinheiro.

Com isso, é preciso ter cuidado na hora de abrir a conta, sabendo quem é a outra pessoa, para que você evite de problemas envolvendo seu nome e acabe endividado no processo.

Perguntas frequentes

O que acontece quando o titular da conta conjunta morre?

Se acontecer o falecimento de um dos titulares da conta, a parte do dinheiro de quem morreu vai para seu inventário, sendo dividido entre os herdeiros. Isso conta também para casais que tenham contas conjuntas.


Conta conjunta pode ter pix?

Sim. As contas conjuntas podem ter PIX. Os titulares podem fazer movimentação por este meio, bastando fazer o cadastro das chaves que irão usar.


Como declarar imposto de renda com conta conjunta?

Para fazer a declaração de imposto de renda da conta conjunta, cada titular deve declarar a parte que lhe pertence do dinheiro na conta. Se não tiver definido este valor, a Receita Federal informa que é para se fazer a declaração de metade do valor do saldo em cada declaração (em caso de dois titulares) ou o valor dividido pelo número de titulares da conta.


Você também vai gostar